9 de jun de 2014

Projeto de leitura: Bichodário

Apoiados em livro recheado de figuras de animais, crianças conhecem as letras do alfabeto e descobrem seu som e traçado.

Objetivos:
★ Apresentar as letras do alfabeto às crianças
★ Ensinar a elas o movimento correto para grafar as letras
★ Abordar o nome e o som de cada uma
★ Introduzir a ideia da formação de sílabas
★ Estimular a criatividade com base na discussão sobre nomes de animais
E toda vez que trabalhamos com o Bichodário é uma novidade, porque a cada semana descobrimos mais nomes, vemos o que o livro traz e ampliamos esse universo", diz a professora Valéria Conti Vicente, responsável pelo projeto e pela disciplina de Comunicação e Expressão ministrada aos alunos do pré do Colégio Albert Sabin. "O texto é muito gostoso e divertido porque brinca com os animais, como o 'macaco macaqueando' e a 'aranha assanhada', e aguça a curiosidade das crianças. É um trabalho extenso, mas que consegue prender o interesse dos alunos durante meses. Eles chegam a ficar ansiosos pelo dia do trabalho com o Bichodário." A seguir, conheça as principais linhas de ação do projeto e veja como desenvolvê-lo com seus alunos. Aranha, macaco, rinoceronte e diversos outros animais são os astros do projeto criado pelo Colégio Albert Sabin, de São Paulo, para apresentar aos pequenos as letras do alfabeto. O trabalho toma por base o livro Bichodário (editora Larousse Júnior), com texto de Telma Guimarães e ilustrações de Sami & Bill, e a cada semana uma de suas páginas serve como ponto de partida para o aprendizado de uma letra. "Quando falamos sobre animais com crianças dessa idade, elas demonstram uma curiosidade muito grande.

Com uma fauna colorida e animada, o livro de Telma Guimarães brinca com as palavras e os animais, tornando o aprendizado das letras do alfabeto uma atividade prazerosa para os pequenos.

Apoiados em livro recheado de figuras de animais, crianças conhecem as letras do alfabeto e descobrem seu som e traçado

Link do livro: http://pt.slideshare.net/tlfleite/7-bichodrio

Leitura e construção de listas
O Colégio Albert Sabin solicita, por meio da lista de materiais, que cada aluno tenha seu próprio exemplar do livro Bichodário. A partir disso, tem início o projeto.

★ Apresente o livro aos alunos e explore a capa, a autora, a editora e os ilustradores. Só depois passe para o conteúdo do livro.
★ A cada semana, faça a leitura de uma página, que trata de um animal. Procure aproveitar tudo o que já tiver sido desenvolvido em estudos anteriores, como conteúdos de ciências naturais sobre os animais.
★ Depois da leitura, converse com os alunos, estimulando-os a citar outros bichos cujo nome comece com a mesma letra trabalhada na leitura.
★ Em seguida, incentive-os a citar nomes de pessoas, objetos, alimentos e personagens também começados com a letra. As palavras citadas deverão ser reunidas, formando listas para consultas posteriores.

As letras e os sons
O professor deve explicar aos alunos que as letras possuem um nome, mas não necessariamente um som diferente. "Por exemplo, a letra 'p': o nome dela é 'pê', mas o som que ela produz sozinha é diferente. Nesse momento, reproduzo para as crianças o som da letra quando está desacompanhada de vogal", orienta Valéria. Sem usar o termo "sílaba", a professora procura mostrar que, ao juntar duas letras, o som torna-se diferente, como no caso de "p" mais "a", que é igual a "pa". "A ideia dessa etapa de sonorização é que eles já comecem a compreender, nas séries do pré, que, de modo geral, quando vamos escrever uma sílaba, precisamos juntar letras. E, em seguida, levantamos hipóteses sobre quais letras precisamos colocar em determinada posição para formar palavras."

A cada semana, os alunos leem uma página do livro, ponto de partida para as atividades do projeto. O aprendizado da grafia se dá por meio de grandes letras adesivadas no chão, enquanto a formação das palavras é ensinada com o uso das letras móveis.

Letras móveis
A professora Valéria conta com uma caixa das chamadas letras móveis, ou seja, uma caixa com 26 divisões, cada qual com várias unidades de determinada letra. Assim, uma divisória abriga um montinho da letra "a", a outra abriga um montinho da letra "b", e assim por diante. Além dessa, há também as caixas temáticas, como uma caixa só com figuras de animais, uma só com figuras de alimentos e outra só com figuras de personagens folclóricos. Com esses materiais, comece a atividade.

★ Separe os alunos em duplas.
★ Peça a cada dupla que pegue uma figura da caixa temática.
★ A partir da figura, eles deverão identificar o nome do elemento retratado (animal, alimento etc.) e as letras necessárias para formar essa palavra.
★ Peça às crianças para pegar as letras e, com elas, construir a palavra correspondente à figura. "Nem sempre essas letras estarão vinculadas à letra estudada no livro. Fazemos um paralelo, para dar continuidade ao projeto, mas em outros momentos essa atividade é livre. A letra vai aparecer, com certeza, mas os animais da letra 'a', por exemplo, não aparecerão apenas durante o estudo do 'a'", explica Valéria.
Apoiados em livro recheado de figuras de animais, crianças conhecem as letras do alfabeto e descobrem seu som e traçado.

Como escrever cada letra
Para que as crianças aprendam como grafar cada letra estudada com o livro, Valéria utiliza o método a seguir.

★ Com fita adesiva, escreva a letra no chão.
★ Coloque setas em cada trecho da letra, indicando o sentido em que o movimento deve ser feito.
★ Ande sobre a letra, acompanhando o sentido indicado pelas setas, para demonstrar aos alunos o caminho a ser percorrido.
★ Peça aos alunos que, um por vez, andem sobre a letra, de forma que entendam como grafá-la. Verifique se o movimento está sendo feito corretamente e oriente o aluno se for necessário.
★ Para finalizar, leve os alunos até a lousa e peça a eles para escrever a letra.
★ A cada letra estudada, relembre-os de como devem ser escritas as letras estudadas anteriormente.

Seu próprio livrinho
O projeto do Bichodário parte da leitura de uma página do livro, passa por construção de lista, sonorização, traçado e leitura, usando textos como parlendas, adivinhas e músicas. Esses textos são trabalhados também na forma de "palavras fatiadas", ou seja, palavra por palavra. Depois que cada conteúdo é explorado, os alunos "alimentam" seu próprio livro. Para isso, cada criança recebe um livro em branco, que pode ser preparado pela própria escola, com cerca de 30 páginas e espiral. O texto desenvolvido naquela semana, depois de explorado, deve ser colado nesse livro, utilizando-se frente e verso de cada folha. Assim, ao final do projeto, cada aluno terá seu próprio livro.

"Uma atividade ajuda a outra: descobrimos as palavras, as construímos com letras móveis, lemos textos ou cantamos músicas e, por último, fazemos a colagem no livro. Costumamos dizer que esses são textos que os alunos sabem de cor, pois eles observam cada um e já sabem exatamente o que há ali, já que propomos ao aluno acompanhar a leitura apontando as palavras com o dedo", resume a professora. Para aprofundar o trabalho e finalizá-lo, Valéria propõe a divisão dos alunos em duplas produtivas. Com o livro Bichodário, um lê para o outro o texto referente a determinada letra. "O Bichodário proporciona textos curtos a cada letra, e eles conseguem fazer a leitura com o amigo."

Fonte: http://revistaguiainfantil.uol.com.br/professores-atividades/92/artigo189605-1.asp
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...