15 de jun de 2008

Projeto "Educação de Valores"

Para melhorar os problemas com a disciplina, na minha humilde opinião, devemos começar por mudar nossas próprias atitudes frente aos alunos. Inicialmente colocar para nós mesmos professores e demais adultos da escola, um roteiro a ser seguido rigorosamente. Como acredito que as palavras convencem, mas os exemplos arrastam, acredito que a postura dos professores seja a mola propulsora para uma melhoria nas posturas dos alunos. O professor não pode JAMAIS gritar com seus alunos, deve ser ORGANIZADO, PONTUAL
e RESPONSÁVEL. O professor deve ser AMIGO dos alunos sem deixar de ser PROFESSOR, deve RESPEITAR seus alunos e nunca HUMILHÁ-LOS. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO é fundamental. 

Se tivermos o hábito de colocar num cantinho da lousa tudo o que foi planejado para a aula, será bom para o professor e excelente para os alunos.COMBINADOS - as regras de boa convivência, tão explorada na educação Infantil é praticamente esquecida no ensino fundamental, porque será? Se usássemos essa prática em todos os níveis tudo poderia mudar. O importante é que todos participem da elaboração das regras que poderá ser diferente de uma sala para outra. E mais importante ainda é que se resolva em grupo também as "punições" para aqueles que transgredirem as regras. O professor deve ter PALAVRA - ou seja, deve cumprir com aquilo que falar. Nada mais irritante e desestimulante para os alunos que um professor que nunca cumpre com o que fala: programa passeios que nunca dão certo, programa filmes e o vídeo tá quebrado, programa , programa... 

Finalmente encerro minha opinião tomando a fala inicial. As mudanças devem começar no professor. Ser mais aberto, escutar mais seu aluno, envolver-se positivamente com seus problemas, conhecer sua história de vida, valorizar seus saberes. Essas mudanças são internas, não apenas uma casca, um verniz. Mas vamos refletir mais uma coisa: não adiantará o professor tomar uma postura ABERTA e continuar esperando de seus alunos respostas FECHADAS - ou seja aquelas que contemplam apenas a opinião dele próprio ou da maioria da classe. TODOS têm o direito de terem suas próprias opiniões desde que devidamente justificada.

Ah, só mais uma coisinha: de nada adiantará trabalhar projeto "Educação de Valores" esperando mudanças apenas nos alunos.

==============================================================
1-PROJETO AMIZADE - EDUCAÇÃO INFANTIL

OBJETIVOS
•Desenvolver competências sociais em crianças de quatro a seis anos
• Mostrar como serem amigas
•Exercitar a identificação, sensibilidade e fala pública sobre diferentes sentimentos
•Destacar como lidarem com as quatro emoções básicas: medo, alegria, tristeza e ira
•Ajudar a expressarem sentimentos que lhes desagradam

PÚBLICO-ALVO: Crianças de 4 a 6 anos

RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS
•Recursos materiais: cartolinas, canetas hidro-cor, revistas velhas
•Outros recursos materiais, caso se faça opção por um treinamento e expressão das múltiplas inteligências
•Recursos Humanos: um a dois Mediadores previamente treinados

QUESTÕES RELEVANTES
•O que é a amizade?
•Amizade é o mesmo que amor?
•O que é um amigo de verdade?
•Qual a importância de um amigo?
•O que é o medo?•Que coisas nos fazem felizes?
•Por quê ficamos tristes?
•O que nos deixa com raiva?
•Como não falar a um amigo?
•Como falar a um amigo?
E inúmeras outras do mesmo tipo, levantadas pelas próprias crianças

COMPETÊNCIAS DESENVOLVIDAS
Afetividade, Auto-estima, Otimismo, Controle dos impulsos, Empatia - Compreensão do outro, Prestatividade e solidariedade, Sinceridade, Empatia no ouvir, Comunicação Interpessoal, Pensamento dirigido, Autoconhecimento e Administração das Emoções.

FASES DO PROJETO
ABERTURA: Mediadores, pais, professores, pessoas da comunidade especialmente convidadas discutem e elegem as competências desejadas e a seleção de questões que a culminância do projeto deverá responder.

O TRABALHO PRÁTICO - ESTRATÉGIAS

PREPARAÇÃO DO ROTEIRO: Os professores e os Mediadores escreverão roteiros de apresentações teatrais simples, cuja duração não deve exceder 15 minutos e que devem vivenciar cenas do cotidiano dos alunos envolvendo temas de relações interpessoais para ajudarem as crianças aprenderem como serem amigas, reconhecerem e falarem sobre diferentes sentimentos, lidarem com verdade e com a mentira, com a ira e com a dor, com o medo e a tristeza, com a alegria e com a felicidade e como expressarem o que lhes agrada e desagrada. Essas pequenas peças podem simular situações do pátio da escola, disputa por lugares, formas de abordagem, etc.

ENSAIO: Para cada encenação haverá um grupo de "atores" e outro de "espectadores", mas todos os alunos nas diferentes peças desenvolverão ambos papeis. Durante o ensaio não deve ocorrer a prioridade de "lições de conduta" ou julgamento sobre "atitudes certas ou erradas" ainda que o aparecimento destas, possa gerar uma resposta serena e coerente por parte do(s) intermedializador(es). Os Mediadores poderão ou não introduzir o "ponto" com um ator que não aparece, ajudando os atores nas falas a serem praticadas.

APRESENTAÇÃO: A apresentação de cada peça se dará de forma similar a qualquer apresentação teatral.

DEBATES: Após a encenação deverão ocorrer os debates, envolvendo inicialmente apenas os alunos e os Mediadores. Nesse debate deve prevalecer a solicitação de opiniões sobre atitudes, gestos, posturas, ações ainda que as mesmas não devam suscitar julgamentos morais por parte dos professores. Não existe um tempo prescrito previamente para a duração dos debates, embora os Mediadores devam mostrar sensibilidade para não o prolongarem além dos limites do interesse por parte dos alunos envolvidos.

SÍNTESE CONCLUSIVA:Concluído os debates os Mediadores sintetizarão as conclusões gerais, enfatizando o que se levou os alunos a aprenderem com a atividade.

FECHAMENTO:É extremamente importante destacar que os valores e os ensinamentos conquistados necessitem ser retomados em momentos e circunstâncias diferentes, internalizando-se nas atitudes dos professores, contextualizando-se aos temas curriculares desenvolvidos. Em verdade, a encenação, debate e síntese conclusiva jamais deve "encerrar" a atividade, antes abrir espaço para práticas sobre novas formas de relacionamento e emprego constante das habilidades sociais no cotidiano dos alunos.

LINGUAGENS APLICADAS:Importante atividade de reforço é, em outra oportunidade, reunir-se os participantes do Projeto solicitando que expressem através de diferentes linguagens - pinturas, paródias, colagens, desenhos, corais, etc. - os valores desenvolvidos e supostamente apreendidos durante a atividade.Atividade extremamente enriquecedora é utilizar diferentes estratégias de comunicação, conforme as inteligências humanas suscitadas - lingüistica, lógico-matemática, visuo-espacial, sonora, cinestésico-corporal, naturalista, intra e interpessoal - e organizar painéis ou murais expressando os valores assumidos.

AVALIAÇÃO: A forma de avaliação será desenvolvida através da comparação de relatórios organizados por todos os elementos da equipe docente avaliando as atitudes dos alunos em sala de aula e no pátio da escola, antes e depois da realização de cada encenação, enfatizando a eventual permanência, após seis meses ou mais, de valores eventualmente assumidos.


=============================================================

2-Projeto Construindo Relações

Justificativa: Estabelecer o contato com a criança e seus familiares, despertando o hábito do dialogo, do toque e do respeito mútuo.

Objetivos:Experimentar e utilizar os recursos de que dispõe para a satisfação de suas necessidades, expressando seus desejos sentimentos, vontades e desagrado e agindo com progressiva autonomia. Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo, conhecendo progressivamente seus limites, sua unidade e a satisfação que ela produz. Brincar, Relacionar-se progressivamente com mais crianças, com seus professores e com demais funcionários da instituição, demonstrando suas necessidade e interesses.

Conteúdo:Comunicação e expressão dos desejos, desagrado, necessidades, preferências, e vontades, em brincadeiras e nas atividades do cotidiano. Reconhecimento progressivo do próprio corpo e das diferentes sensações e ritmo que produz. Iniciativa para pedir ajuda nas situações em que isso se faz necessário. Participação em brincadeiras de “esconder e achar” e em brincadeiras de imitação. Participação e interesse em situações que envolvam a relação com o outro. Respeito às regras simples de convívio social

Operacionalização: Brincadeiras diversas: Bater palmas, Dançar, Brincadeiras no espelho, Gesticular, Lançar bolas, Ouvir e cantar músicas, Manusear livros, Ouvir histórias, Carimbo de mãos e pés, Imitação, Integração com crianças de outras turmas, Parque.

Encerramento: Apresentação do registro de fotos, realizados durante o projeto.

Duração: Durante todo ano letivo


=========================================================

3-PROJETO AFETIVIDADE
Amar e ensinar os alunos a demonstrar amor uns aos outros; isto só os ajudará a crescer seguros e felizes. Vivemos numa época em que tudo é novo; um mundo de mudanças e transformações. Precisamos encontrar uma nova forma de conviver e de resolver os problemas. Mas, para que isto aconteça é fundamental a presença de um sentimento nobre: o afeto. “São os nossos afetos e emoções que dão colorido ás nossas vidas e expressam-se nos desejos, nos sonhos, nas emoções e nos sentimentos. É o que nos faz viver”. Não só a criança, mas todo o ser humano gosta de receber um agrado. A criança entende esse agrado no tom de voz, no olhar e no toque. A base para o sucesso da criança é receber essa carga afetiva. Receber carinho é vital para sua auto-estima. As palavras também podem estar carregadas de afeto. As emoções são expressões de afeto, que vêm acompanhadas de reações orgânicas, em resposta a um acontecimento. Essas reações fogem do nosso controle e são de fundamental importância para a descarga das tensões e emoções.Eles serão educados para respeitar o direito do outro e ao mesmo tempo em que poderá usufruir o seu. Sem receio, devemos educar nossas crianças, pois isso favorece o desenvolvimento. Devemos ser firmes sem ser indelicados. O fato de impor limites, no momento certo, não significa punição e sim demonstração de afeto.

O que deverá ser feito: Junto com a classe, escolher um aluno para deitar sobre a folha de um papel pardo e contorná-lo formando uma silhueta. A partir de então recortar e usar de molde para cortar no t.n.t, 2 vezes (frente e verso do boneco). Costurar os membros, tronco e cabeça. Pedir para que as crianças tragam roupas para o boneco. Quando o boneco estiver pronto, organizar uma eleição para escolher um nome para ele. Cada criança deve dar uma sugestão e explicar o motivo. Anotar as opções na lousa. Depois, falar os nomes propostos e ir perguntando: “quem gostou desse?”. Anotar o número de votos para cada nome e ver qual foi o preferido das crianças. Deixar o boneco em sala de aula. Ele pode participar das atividades realizadas com os alunos, ouvirem histórias, ser levado para o parque na hora da brincadeira ou para passeios fora da escola, como se fosse um integrante da turma. A partir de então as crianças levarão o boneco para passar um dia em sua casa junto com um caderno como diário onde os pais registram a rotina da criança com o boneco. Antes explique que serão responsáveis por ele naquele dia e que deverão ter cuidado. No dia seguinte, a criança relata como foi a estadia do boneco em sua casa. Dessa forma trabalhamos também a oralidade.“as crianças entram no mundo do faz de conta e imaginam que o boneco é um amigo de verdade”.

Avaliação: A avaliação será realizada através da observação do relato feito pelas crianças (roda de conversa) diariamente demonstrando seus sentimentos e atitudes tomadas depois das atividades realizadas. E por intermédio do relatório dos pais no diário.

Atividade: Combinados da amizade

Objetivo: Levar as crianças a demonstrar, verbalizar e valorizar atitudes afetivas.

Justificativa: O toque é umas das maneiras mais sinceras de demonstrar Afeto.

Material: papel cartão, caneta piloto

Desenvolvimento: Em roda conversar com as crianças, sobre a importância da amizade. Num cartaz a professora irá escrever o que as crianças determinarão que fará parte do “combinados da Amizade” da turma. Esses combinados deverão ser lidos e/ou acrescentados novos, sempre que necessário. Alguns exemplos:-Fazer Carinhos-Abraçar-Dar beijo no Rosto-Brincar-Dar Boa Tarde-Arrepender com fez algo errado-Ajudar-Ter Paciência-Esperar nossa vez de falar e brincar.

Avaliação: A atividade proporcionou as crianças oportunidades para demonstrar, verbalizar, e valorizar atitudes afetivas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...